Qual o papel da nutrição na Doença de Parkinson?

O papel da nutrição é essencial e impactante para o doente com Parkinson.

Com a progressão da doença, existe um risco acrescido de malnutrição e perda de peso (principalmente de massa muscular) por inúmeros fatores associados à DP tais como, por exemplo, a própria medicação, carências nutricionais, tremores que impedem a ação de levar a comida à boa ou fadiga pelo esforço de comer. No decorrer da doença, cerca de 60% a 80% dos casos irão sofrer de disfagia, o que irá comprometer gravemente a ingesta alimentar.

Guidelines internacionais suportam a realização de monitorização nutricional regular na Doença de Parkinson. É importante que doentes e cuidadores deem as mãos à nutrição, pois esta é determinante na qualidade de vida do doente com Parkinson desde o seu diagnóstico.

 

Nutrir também é cuidar!

Tânia Soeiro – Nutricionista

3 anos de experiência em Doença de Parkinson