Fui diagnosticado(a) com Doença de Parkinson… e agora?

Agora é hora de obter ajuda adequada ao seu caso. A sua vida não acabou!

É um facto que a Doença de Parkinson não tem cura, contudo, é possível controlar alguns dos sintomas e prevenir a progressão da doença – a intervenção precoce revela-se fundamental neste processo!

 

Procurar um Neurologista especializado

São muitas as variantes nas doenças neurológicas e só um profissional especializado poderá avaliar e diagnosticar devidamente o seu caso.

É fundamental que recorra a um neurologista experiente em Doenças do Movimento, em que se insere a Doença de Parkinson.

 

Formas de tratamento

O tratamento farmacológico é o primeiro passo mas, não menos importantes, são as terapias especializadas que atuam a nível físico, cognitivo e emocional. Estas funcionam como um complemento à terapia medicamentosa devendo ser encaradas como outro “medicamento” e realizadas com a regularidade devida. As mesmas ajudam a atenuar e a melhorar os sintomas motores e não motores, sendo fortes aliadas na prevenção da progressão da doença e não apresentando efeitos secundários.

Nesta doença, a intervenção precoce de uma equipa multidisciplinar é fundamental!

 

Procure tratamentos/terapias especializadas

É importante que procure uma intervenção especializada e personalizada, recorrendo a profissionais de saúde experientes em Doença de Parkinson.

Neurofisioterapia, Nutrição, Terapia da Fala, Psicologia e Estimulação Cognitiva são algumas das terapias aconselhadas, mas só após uma avaliação global do seu caso clínico, poderá compreender quais as melhores abordagens terapêuticas, a regularidade e a intensidade das mesmas.

Sabia que…

A neurofisioterapia minimiza e retarda a evolução dos sintomas, proporcionando uma melhor funcionalidade e consequente melhoria da qualidade de vida.

A alimentação pode influenciar a forma como a medicação atua no seu corpo.

A Terapia da Fala previne e reduz o engasgo através do fortalecimento dos músculos e estruturas responsáveis pela deglutição.

A psicologia intervém na aceitação e criação de estratégias para lidar com os sintomas, entre outras questões.

Por todas estas razões é fulcral que procure especialistas nas terapias que mais o podem ajudar no ganho de qualidade de vida, como as acima descritas.

 

Esclareça-se com o especialista!

Procurar informação faz parte do processo. Querer saber como funciona a doença, o que fazer e como é que ela vai influenciar a sua vida é natural. No entanto, a Doença de Parkinson manifesta-se de várias maneiras e nem sempre aquilo que lê na internet será adequado ao seu caso. Desta forma, é importante procurar fontes de informação credíveis e profissionais de saúde especializados na área que poderão responder às suas dúvidas.

 

Sabemos que é um caminho difícil, mas pode e deve procurar ajuda.

Saiba mais aqui sobre Doença de Parkinson.

 

Contacte-nos para mais informações/ esclarecimentos. 

Fisioterapeuta Rita Gama

3 anos de experiência em Doença de Parkinson